Capa

Em noite de homenagem a Éder Jofre, duas vitórias e um empate para lutadores do litoral sul em SP

Entre os profissionais, Aelio 'Biro', do Guarujá, venceu por nocaute, e Carlos 'Pitbull', carioca radicado em Santos, terminou o combate empatado no Cruel Fight Downtown São Paulo, evento que uniu boxe e show, neste sábado (8). No amador, Alexssander 'Gardenal', de Peruíbe, ganhou por pontos

09.06.2019  |  196 visualizações

São Paulo (SP) – Em um evento com muito boxe, música e emoção, três lutadores - dois profissionais e um amador - representaram o litoral sul paulista no Cruel Fight Downtown São Paulo, realizado neste sábado (8), no Complexo #9, na capital paulista, e que trouxe um conceito inovador, unindo boxe e entretenimento. Aelio Mesquita 'Biro', do Guarujá, não deu qualquer chance ao adversário, e nocauteou Luciano Santos 'Bahia', de Salvador, logo a 1min55seg do primeiro de um total de quatro rounds na divisão dos leve. Já Carlos Henrique 'Pitbull', carioca radicado em Santos, empatou com o baiano Daniel 'Eddie Murphy' Araújo, por decisão dividida dos juízes, entre os peso pena, em seis rounds. No amador, em combate que abriu as disputas, Alexssander 'Gardenal', de Peruíbe, passou pelo venezuelano Adrian Cabezas, na categoria 64 kg, por pontos, após três rounds.

Na programação, uma homenagem a Éder Jofre, bicampeão mundial - 1961 e 1973 -  emocionou a todos. O eterno Galo de Ouro, como foi chamado no vídeo exibido nos telões do espaço, viu o público aplaudir de pé sua chegada, ao lado da filha Andréa, para assistir aos combates profissionais, acompanhou as imagens em sua homenagem e subiu ao ringue antes da luta final, cantando emocionado o Hino Nacional. No total, foram 10 lutas - duas amadoras e oito profissionais - cinco nocautes, três vitórias por pontos, um empate e um abandono. 

"Só tenho a agradecer e dizer que precisamos sempre batalhar e correr atrás de nossos sonhos", destacou 'Biro'. "Foi minha primeira luta, depois de um período parado, em recuperação e por isso valeu muito esse empate", explicou 'Pitbull'. ""Estou muito feliz", garantiu 'Gardenal'.

O Cruel Fight Dowtown São Paulo foi realizado no Complexo #9, montado em um espaço revitalizado, embaixo do Viaduto Júlio de Mesquita Neto, no bairro da Bela Vista, trazendo de volta o glamour do boxe, para reviver os grandes momentos da modalidade no País. Nomes como a paulista Rose Volante, primeira campeã mundial de boxe entre as mulheres no País, em 2017, na divisão dos peso-leve da Organização Mundial de Boxe (OMB), acompanhou todos os combates. "Um prazer imenso estar aqui. Tenho certeza que será um show", destacou Rose ao chegar no final da tarde do sábado, antes de começar a tirar fotos com os fãs.

Música e dança - O conceito inovador ficou por conta da união entre esporte e show. Luzes e uma ambientação especial, muita música e atrações como duas apresentações de Fernandinho Beat Box, um dos maiores nomes do hip hop nacional, e quatro B Boys, que fizeram uma batalha de dança de rua, que agitou o público de 350 pessoas, deram um clima diferenciado ao evento. Karin Hils, ex-integrante da Banda Rouge, e o e-BBB Caruso - que treina na Gibi Academia, apoiadora do evento - estiveram no Complexo #9.

Luta principal teve disputa de três títulos - O paulista Fernando 'Cruel' fez valer o apelido na luta principal no Complexo #9. Com um início arrasador, nocauteou o também paulista Guilherme Castagnazzi, aos 2min06seg do primeiro round, para comemorar a vitória, conquistando três cinturões na divisão dos super meio-médios, com os títulos brasileiro do Conselho Nacional de Boxe (CNB) e internacionais da American Boxing Federation (ABF) e da Universal Boxing Organization (UBO).

Considerado um dos maiores pugilistas da nova geração no Brasil, 'Cruel' comemorou muito a vitória e o sucesso do evento como um todo. "Quero agradecer a todos que estiveram aqui. Que vocês sejam multiplicadores desta iniciativa para que o boxe brasileiro volte a ser uma força, em nível nacional e internacional, retomar seus tempos áureos. Temos atletas para isso e sinto que posso, de alguma forma, participar, seja lutando, conquistando títulos, seja promovendo eventos", afirmou 'Cruel', responsável pela parte técnica do Cruel Fight Downtown São Paulo, e que tem agora um cartel de nove lutas, com sete vitórias, todas por nocaute, um empate e uma derrota.

Com supervisão do Conselho Nacional de Boxe (CNB), Mike Miranda Jr. como matchmaker e a presença do presidente da ABF, Jeremy Warren Lantz, o Cruel Fight Downtown São Paulo foi o primeiro evento da promotora Cruel Fight, comandada pelos sócios Fernando ’Cruel’ e Marcelo Jabur, que usou toda a sua experiência em organização de eventos de entretenimento e corporativos para reunir diversas atrações, paralelamente à competição em si. A programação, aliás, teve início na quinta-feira (6) à noite, com o “Diálogos do Boxe”, uma ação diferenciada da Cruel Fight, destinado a discutir e pensar os rumos da modalidade, com a presença de especialistas e profissionais do setor e que terá novas edições nos próximos eventos da Cruel Fight.

Demais resultados - Além dos nocautes de 'Cruel' e de 'Biro', o público pode acompanhar outros três KOs. Já no primeiro combate profissional da noite, um nocaute técnico do gaúcho Gustavo Silva, de Porto Alegre, diante de João Victor, de Itapira (SP), na divisão dos peso-penas. O mineiro Raphael William, de Uberaba, nos peso-leve, venceu Pedro Guilherme, de Caconde (SP). Wallison Henrique, de Campinas, interior de São Paulo, ganhou do paulistano Loran Medeiros, logo a 1min05seg do primeiro round, nos super meio-médio. Na única luta feminina do programa, no Amador, categoria 64 kg, a paulista Amanda Russa venceu, depois do abandono da adversária, Karoliny Laura Azevedo, no intervalo entre o segundo e o terceiro rounds. Nos demais resultados do Profissional, o maranhense radicado em São Paulo, Francisco Learte, derrotou Luiz Manzo (Campinas-SP), por pontos, em decisão unânime dos juízes - peso super-médio; Edson ‘Cabelo’ Camargo (São Paulo-SP) ganhou de Marcos Lolata (Sorocaba-SP), por pontos, também em decisão unânime, no super-médio. 


Mais informações:

Site:
 www.cruelfight.com.br
Fan page: https://www.facebook.com/cruelfight1/
Instagram: @cruelfight


ZDL

Doro Jr. MTb 13209 - 
dorojr@zdl.com.br    - 11 984579723
Deborah Mamone - MTb 15148 - 
deborah@zdl.com.br    - 11 3285.5911


Site: 
www.zdl.com.br
Facebook: www.facebook.com/ZDLSports
Instagram: www.instagram.com/zdlsport
Twitter: www.twitter.com/ZDLcomunica

  • Biro venceu por nocaute
    (Bob Donask / Cruel Fight)

  • Alexssander ‘Gardenal (dir.) venceu Adrian Cabezas
    (Bob Donask / Cruel Fight)

  • Éder e Cruel comemoram os cinturões
    (Bob Donask / Cruel Fight)

  • Cruel e os três cinturões
    (Leandro Arcanjo / Cruel Fight)

  • Cruel nocauteia Castagnazzi
    (Bob Donask / Cruel Fight)

  • Éder canta Hino Nacional no ringue, perto de Rose Volante (dir.)
    (Bob Donask / Cruel Fight)

  • Éder agradece a homenagem
    (Bob Donask / Cruel Fight)

  • Fernandinho Beat Boxe, Éder e Rose Volante
    (Bob Donask / Cruel Fight)

Leia também...

Entre em contato