Capa

FUTEBOL

Reis do Drible: Time de Falcão vence duelo e craque do futsal conquista o tetracampeonato

Com foco no futebol arte em que um drible vale mais do que o gol, evento foi realizado na manhã deste domingo (16), na cidade de Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, reunindo um público de cerca de 4.000 torcedores

16.12.2018  |  1.485 visualizações

Itapecerica da Serra (SP) - O Ginásio Poliesportivo Antonio Baldusco, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, foi palco neste domingo (16) da quarta edição do Reis do Drible, a competição em que os dribles valem mais do que gols. O Time de Falcão, composto ainda pelo uruguaio Arrascaeta, sensação do Cruzeiro, os habilidosos atletas do futebol freestyle, Adonias Fonseca e Lu "Caneta", além do goleiro Franklin, do futsal, garantiu o título desta temporada, ao vencer o Time de Nenê por 20x11. Ao lado do camisa 10 do São Paulo, estiveram os jogadores Rodrygo, do Santos, o argentino Charly Iacono, do futebol freestyle, e os jogadores de futsal Oito Meia e Willian, goleiro do Joinville. Cerca de 4.000 pessoas estiveram presentes no local.

Com a vitória, Falcão conquistou o tetracampeonato em quatro edições do evento, que fez sua estreia no Rio de Janeiro (RJ), em dezembro de 2015, tendo ainda outras duas etapas em 2017, em janeiro e dezembro, ambas em São Bernardo do Campo (SP). "Venho para o evento pensando em brincar com os amigos, mas não gosto de perder. A gente se diverte, mas sempre de olho no placar. Não só eu, individualmente, mas também os demais integrantes do meu time. Quando entramos na quadra, é para ganhar. Participei de todos os Reis do Drible e fico feliz de estar aqui outra vez", disse Falcão.

"O Reis do Drible é um tipo de competição diferente. Nesse momento, atletas profissionais, seja de futebol ou futsal, têm a chance de se divertir realmente. Ninguém quer tomar drible, então ficamos todos mais espertos na marcação aos adversários", comentou Falcão, que anunciou neste mês o fim da sua carreira no futsal.

Em sua segunda participação no evento, Nenê, que foi campeão em 2015 no Rio de Janeiro,  teve que montar seu time e assim, pela primeira vez enfrentou Falcão na competição. "Estamos acostumados a sempre jogarmos juntos, em todos os jogos, seja no que eu organizo ou no dele, ou em outras ocasiões que somos convidados. Jogar contra ele foi legal, mas confesso que não gosto. Ainda mais porque ele é um gênio, então tem que ficar esperto", afirmou Nenê. "A ideia do evento é legal, porque é bom para o espetáculo. O público ganha quando vê dribles desconcertantes, canetas ou chapéus. A vibração pelo drible é maior do que o gol, o que é a essência dessa disputa", avaliou Nenê.

O jogo - A partida no Ginásio de Itapecerica da Serra começou com bastante equilíbrio no placar. Após cinco minutos de jogo, apontava empate em 3x3. No desafio entre Nenê e Adonias, o jogador são-paulino colocou seu time na frente. Com um gol, porém, viu o rival virar para 5x4, após acertar uma caneta. Daí em diante, o Time de Falcão cresceu e não foi mais incomodado, fechando o primeiro tempo em 15x7, após Falcão conseguir dois chapéus seguidos em Nenê.

Na etapa final, Falcão e cia assistiram os adversários diminuírem para 15x10, para aí comandarem o restante do jogo, nos seis minutos finais, e marcarem mais cinco tentos, enquanto o Time de Falcão conseguiu apenas um, finalizando em 20x11. "É uma ótima ideia a do evento Reis do Drible. Achei muito bacana estar perto desses caras que jogam muita bola. Falcão já tive oportunidade de vê-lo várias vezes e pude dividir quadra com ele hoje. Foi um momento incrível e fiquei bem feliz. Esses caras que estavam aqui jogam demais", observou Arrascaeta. 

O diferencial no placar foram os dribles. Enquanto o Time de Falcão fez 12 gols e, o de Nenê, 11, a equipe vencedora conseguiu somar outros oito tentos com uma caneta e três chapéus. "Foi legal estar aqui. O Reis do Drible eu havia assistido nos outros anos na televisão e tinha muita vontade de um dia eu participar. O convite feito, que chegou para mim pelo Falcão, me deixou bastante feliz. Foi um espetáculo", disse Rodrygo. "Os dribles e firulas, de forma positiva e sadia, fazem parte do futebol e eventos assim são sempre bem-vindos", complementou a jovem revelação do Santos.

Formato do evento - O Reis do Drible é realizado em uma quadra especialmente desenhada e com regras adaptadas para facilitar a apresentação dos dribles. O formato é o 4x4, com três jogadores na linha e um goleiro, em dois tempos de 10 minutos, com cronômetro parado. O evento une as características do futsal, com futebol de campo e o futebol freestyle, e alguns dribles tradicionais, como caneta, meia-lua e chapéu, por exemplo, valem o dobro de pontos em relação a um gol.

A competição pode ser definida quando estiver em seus momentos decisivos com uma regra válida desde a segunda edição: o jogador que conseguir realizar o drible e fazer o gol na mesma jogada terá uma bonificação e este "combo" valerá quatro pontos. Há ainda os desafios individuais, em que um atleta escolhe um adversário para o drible homem contra homem. As faltas, caso aconteçam, são cobradas sempre no estilo shoot out, ou seja, o jogador vai de encontro ao goleiro adversário com o objetivo de driblá-lo para fazer o gol.

A história do Reis do Drible - A primeira edição do Reis do Drible foi realizada em dezembro de 2015, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro (RJ). O time Reis do Brasil, comandado por Falcão e Nenê, garantiu a vitória por um placar apertado, 18 x 16. Do lado dos Reis do Mundo, o francês Séan Garnier roubou a cena, pontuando de todas as formas possíveis: gols, caneta, chapéu e meia-lua.

Em janeiro de 2017, São Bernardo do Campo (SP) sediou a segunda edição. Assim como na estreia do evento, o craque Falcão comandou os Reis do Brasil e garantiu a manutenção do troféu de campeão. Outra vez, entre os Reis do Mundo, Séan Garnier destacou-se no time das estrelas internacionais, ao lado do argentino Jesús Dátolo, um dos melhores em quadra na primeira etapa. Placar final, 29 x 15 para o time nacional.

Já em dezembro de 2017, também em São Bernardo do Campo, a conquista do tricampeonato de Falcão. Séan Garnier, como de costume, foi a estrela principal dos Reis do Mundo, que foram derrotados por 33 x 16. Vinícius Júnior, atualmente no Real Madrid, foi o principal parceiro de Falcão no terceiro título seguido do craque, que em 2018 fez sua despedida do futsal.

A quarta edição do Reis do Drible teve patrocínio de Motorola, Rexona, Uni Drummond, Next Açaí, Batata Show no Cone e Magnum, e contou com o apoio do Hotel Rancho Silvestre, Hummel e Prefeitura de Itapecerica da Serra. O evento foi organizado pela Savaget & Excalibur Promoções e Eventos.

Mais Informações:
Facebook: www.facebook.com/reisdodrible/
Instagram: www.instagram.com/reisdodrible
E-mail: contato@reisdodrible.com.br

Informações para a imprensa:
Gustavo Coelho / Doro Jr. - Mtb 13209
E-mail: gustavo@zdl.com.br
Tel: 11 32855911 / Vivo: 11 9.8457-9699

Site: www.zdl.com.br
Facebook: www.facebook.com/ZDLSports
Instagram: www.instagram.com/zdlsports
Twitter: www.twitter.com/ZDLcomunica

  • Falcão dá bicicleta durante o jogo
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Nenê e Falcão em duelo
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Adonias e o futebol freestyle
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Falcão chama o desafio
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Oito Meia comemora andando de skate
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Partida reuniu craques do futebol mundial
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Ginásio lotado
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Falcão recebe o troféu de campeão da quarta edição
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Time de Falcão
    (Rodrigo Dod / Savaget)

  • Time de Nenê
    (Rodrigo Dod / Savaget)

Leia também...

Entre em contato